Informações ao Paciente

Como Cuidar do Pé do Diabético

O diabetes é uma doença crônica com um elevado número de cmplicações e sequelas.

Os pés podem sofrer uma situação chamada de Pé Diabético, que é causada pelos problemas de circulação, sensibilidade e do sistema imunológico do paciente.

Podem ocorrer infecções, feridas que não cicatrizam, fraqueza muscular, deformidades e calos.

A prevenção dos problemas é o melhor remédio, eis algumas medidas importantes de prevenção:

1. manter a glicose do sangue controlada

2. Fazer um bom acompanhamento com um clínico, endocrinologista ou cardiologista

3. usar calçados confortaveis, largos e sem costuras internas

4. usar meias brancas, para detectar algum sangramento escondido

5. observar os pés diariamente

6. manter um acompanhamento mensal com um podólogo

7. Procurar atendimento em uma emergencia em qualquer sinal de ferida ou sangramento no pé.


Buscar

Arquivos

Perguntas Frequentes

  • O que significa ter o Pé “cavo” ou o Pé “plano”?

    O pé é caracterizado anatomicamente pela presença de um arco na sua face interna. Este arco pode apresentar-se alto, normal ou baixo. Isso depende basicamente de características genéticas do paciente.
    Quando o arco aparentar ser alto demais, o pé é caracterizado como Pé Cavo. O contrario, quando o arco estiver baixo, ou até inexistente, é chamado de Pé Plano (ou Pé Chato, como é popularmente conhecido).


    Imagem mostrando pé cavo (esquerda), normal (centro) e plano (direita)

    Não podemos afirmar que a simples característica de pé Cavo ou Plano seja um problema de saúde. Uma parcela significativa da população apresenta pés cavos ou planos sem que nunca desenvolva sintoma qualquer.
    Mas alguns pacientes com o pé exageradamente plano ou cavo sentem dor, desequilíbrio ou calosidades. Nestes casos, o médico faz uma avaliação completa, com o auxilio de exames como Raio X, Tomografia Computadorizada ou Ressonância Magnética, determina a causa e prescreve o tratamento.
    Quanto ao tratamento, pode ser realizado com o auxilio de palmilhas, fisioterapia e, por vezes com uma técnica especial de cirurgia.

  • Como pode ser tratada a Fratura do Tornozelo?

    A fratura do tornozelo deve ser avaliada quanto à sua estabilidade. Quando for verificado em exames (Raios-X ou Tomografia) que a fratura é estável, esta pode ser tratada com imobilização e gesso. Se for diagnosticada instabilidade, o mais correto é realizar um procedimento cirúrgico para posicionar adequadamente a articulação e fixar os ossos.
    Uma vez fixados os ossos, é permitido início imediato da fisioterapia e retorno precoce às atividades do dia a dia.
    É consenso entre os especialistas que o tratamento cirúrgico leva a uma recuperação mais rápida e pratica, mas deve ser indicado com bom senso, respeitando as limitações de idade e condições de saúde do paciente.

Veja todas